32 livros essenciais sobre Jornalismo Literário

O livro “Paralelo 10 – Notícias da linha que separa o cristianismo e islã”, da jornalista Eliza Griswold, é a mais recente publicação da “Coleção Jornalismo Literário” da Cia. Das Letras, uma importante editora brasileira. O livro de Elisa, ganhador do prêmio Lukas Prize Project Awards, das faculdades de jornalismo de Columbia e Harvard é a publicação número 32 de uma das coleções que mais valorizam a produção em Jornalismo Literário no mundo.

 
Um dos primeiros livros da “Coleção Jornalismo Literário” foi o célebre “Hiroshima”, de John Hersey. A reportagem, feita no Japão em 17 dias, registrou o ataque atômico americano, contra o país asiático na Segunda Guerra Mundial, por meio do relato de seis sobreviventes. Segundo o jornalista, mestre em Comunicação Social e professor da Famecos na PUCRS, Vitor Necchi, Hiroshima foi um marco para a história do jornalismo mundial. “A publicação original provocou um choque. Abalou seus leitores porque apresentou o relato minucioso de como uma cidade e quase 250 mil pessoas acabaram dizimadas. Abalou porque não se ocupou com questões técnicas da bomba nem revelou alguma novidade, mas contou histórias singulares de seis sujeitos, seis sobreviventes. A humanização que brotou do texto desnudou para os Estados Unidos o horror que haviam cometido”, analisa em artigo no XXX Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, realizado na cidade de Santos, em 2007.

O que se sucedeu após o investimento da Cia. Das Letras em publicar “Hiroshima”, sucesso de vendas, foi uma longa coleção de grandes obras de Jornalismo Literário, iniciativa coordenada por um dos maiores incentivadores do estilo no país, Matinas Suzuki Jr.

Segue abaixo, por ordem cronológica (dos mais recentes até os mais antigos) , a lista completa das obras escritas por meio do estilo jornalístico-literário, publicadas pela Cia. Das Letras:

PARALELO 10 – Notícias da linha que separa cristianismo e islã (2012)   |         480 páginas

PARALELO 10 - Notícias da linha que separa cristianismo e islã

 

Neste livro fascinante e corajoso, Eliza Griswold percorre diversos países atravessados pelo paralelo 10°N para investigar as origens econômicas e sociais do conflito global entre o islã e a cristandade.

ANATOMIA DE UM JULGAMENTO – Ifigênia em Forest Hills (2012) | 200 páginas

Janet Malcolm

ANATOMIA DE UM JULGAMENTO - Ifigênia em Forest Hills

Em um livro de tirar o fôlego, um dos grandes nomes do jornalismo americano se volta a um julgamento aparentemente solucionado, mas que, sob seu olhar agudo e faro apurado, será posto em xeque.

A MULHER CALADA (EDIÇÃO DE BOLSO) – Sylvia Plath, Ted Hughes e os limites da biografia (2012) | 240 páginas

Janet Malcolm

A MULHER CALADA (EDIÇÃO DE BOLSO) - Sylvia Plath, Ted Hughes e os limites da biografia

Neste ensaio biográfico, a autora examina todas as biografias já escritas sobre Plath para demonstrar como é tênue o limite entre fato e ficção.

O XÁ DOS XÁS (2012) | 200 páginas

Ryszard Kapuscinski

O XÁ DOS XÁS

Neste misto de relato de viagem e reportagem, o jornalista polonês Ryszard Kapuscinski, um dos mais importantes cronistas de guerra do século XX, disseca as origens da Revolução Iraniana de 1979 ao narrar o processo de ascensão e queda do último xá do Irã.

A LUTA (EDIÇÃO DE BOLSO) – A história da maior luta de boxe do século XX: Muhammad Ali versus George Foreman (2011) | 232 páginas

Norman Mailer

A LUTA (EDIÇÃO DE BOLSO) - A história da maior luta de boxe do século XX -  Muhammad Ali versus George Foreman

Zaire, 1974: Muhammad Ali desafia George Foreman. Neste relato magistral sobre a maior luta de boxe do século, Mailer põe o leitor na pele do boxeador e o faz pensar e sentir como se estivesse no ringue. É como se ninguém conhecesse o resultado da luta.

O REI DO MUNDO (EDIÇÃO DE BOLSO) – Muhammad Ali e a ascensão de um herói americano (2011) | 376 páginas

David Remnick

O REI DO MUNDO (EDIÇÃO DE BOLSO) - Muhammad Ali e a ascensão de um herói americano

Este livro reconstitui a história de Muhammad Ali, o maior lutador de boxe de todos os tempos. Recusando-se a assumir qualquer papel exemplar, Ali ajudou a transformar a política racial, a cultura popular e a noção de heroísmo dos norte-americanos, num tempo em que a vida se constituía numa série de enfrentamentos, dentro e fora do ringue.

 

O JORNALISTA E O ASSASSINO (EDIÇÃO DE BOLSO) – Uma questão ética (2011) | 176 páginas

Janet Malcolm

O JORNALISTA E O ASSASSINO (EDIÇÃO DE BOLSO) - Uma questão ética

A clássica reportagem de Janet Malcolm sobre a ética jornalística inaugura a série Jornalismo Literário de Bolso, mais econômica. Posfácio de Otavio Frias Filho.

HONRA TEU PAI (2011) | 512 páginas

Gay Talese

HONRA TEU PAI

Neste clássico do jornalismo literário, o autor de O reino e o poder e A mulher do próximo narra a ascensão e a queda de uma das grandes famílias da máfia americana. Edição revista e ampliada pelo autor, com nova introdução de Pete Hamill.

A VIDA SECRETA DA GUERRA – Viagens pelos conflitos modernos (2010) | 288 páginas

Peter Beaumont

a vida secreta das guerras - jornalismo literário

Neste volume da coleção Jornalismo Literário, o editor e correspondente internacional Peter Beaumont viaja aos confins da Terra e investiga o cotidiano e os paradoxos guerra contemporânea. Posfácio de Arthur Dapieve.

OPERAÇÃO MASSACRE – Um dos maiores escritores argentinos investiga um fuzilamento assombroso (2010) | 288 páginas

Rodolfo Walsh

operação massacre - jornalismo literário

Publicado em 1957, Operação Massacre narra os bastidores da ação policial que resultou no fuzilamento clandestino de doze civis acusados de conspirar contra o governo ditatorial que depusera Perón um ano antes. Ao empregar técnicas narrativas da ficção, esta reportagem inaugura o jornalismo literário na Argentina.

VULTOS DA REPÚBLICA – Os melhores perfis políticos da revista Piauí (2010) | 304 páginas

Vários autores

vultos - jornalismo literario

Um retrato mordaz – e certeiro – de figuras que, por afinidade ou manobra do destino, estão no centro do panorama político nacional. Escritos por grandes jornalistas da atualidade, os perfis da piauí são conhecidos por sua competência investigativa e pelo modo incomum de construir a identidade dos retratados.

ESQUELETO NA LAGOA VERDE – Ensaio sobre a vida e o sumiço do coronel Fawcett (2010) | 160 páginas

Antonio Callado

esqueleto na lagoa verde - jornalismo literário

Em 1925, um oficial britânico tenta localizar um Eldorado no interior do Brasil, mas acaba desaparecendo na selva. Vinte e sete anos depois, o repórter Antonio Callado vai ao Xingu para escrever sobre o sumiço do explorador e produz um dos mais fascinantes relatos jornalísticos já feitos no Brasil.

ELOGIEMOS OS HOMENS ILUSTRES – Um jovem escritor e um grande fotógrafo vão ao sul dos Estados Unidos para fazer a reportagem que revolucionou o jornalismo (2009) | 520 páginas

James Rufus Agee e Walker Evans

elogiemos os homens ilustres - jornalismo literário

Concebido como reportagem sobre os efeitos da Grande Depressão, Elogiemos os homens ilustres foi recusado pela revista que o encomendou por romper os padrões de redação da época. Lançado em livro, tornou-se um clássico do jornalismo literário e da reportagem fotográfica, ao retratar de maneira original e arrebatadora a convivência do escritor James Agee e do fotógrafo Walker Evans com lavradores pobres do Alabama, em 1936.

VIDA DE ESCRITOR (2009) | 512 páginas

Gay Talese

vida de escritor - jornalismo literário

Gay Talese, um dos mais conceituados jornalistas norte-americanos – autor de O reino e o poder (uma história do New York Times) e A mulher do próximo (a crônica da liberação sexual americana nos anos 1960) – investiga agora o seu próprio trabalho.

STASILÂNDIA (2008) | 376 páginas

Anna Funder

stasilândia - jornalismo literário

Em um relato de extraordinária qualidade literária, a australiana Anna Funder traça um emocionado perfil dos atos individuais de heroísmo e resistência que conduziram à queda do muro de Berlim. Posfácio de William Waack.

O LIVRO DAS VIDAS – Obituários do New York Times (2008) | 312 páginas

Vários autores

o livro das vidas - jornalismo literário

O livro das vidas, uma seleção de obituários publicados no New York Times, é também uma aula de jornalismo, assinada por profissionais que combinam humor, ironia, poder de síntese e raro talento para contar a história de pessoas comuns que levaram vidas incomuns.

DENTRO DA FLORESTA – Perfis e outros escritos da revista The New Yorker (2006) | 576 páginas

David Remnick

dentro da floresta - jornalismo literário

O livro traz vinte e três dos melhores textos do jornalismo literário internacional. Perfis de personalidades como Mike Tyson, Philip Roth, Benjamin Netanyahu, Amós Oz, Vladimir Putin e outros, traçados pelo editor de uma das mais prestigiosas revistas americanas. Posfácio de João Moreira Salles.

O SUPER-HOMEM VAI AO SUPERMERCADO – Convenções políticas (1960-68) (2006) | 456 páginas

Norman Mailer

o super homem vai ao supermercado -jornalismo literario

Reportagens clássicas de convenções presidenciais nos Estados Unidos, por um dos escritores mais provocantes da literatura americana, O super-homem vai ao supermercado é um marco do jornalismo literário e um mergulho nos traumas e paradoxos da América. Posfácio de Sérgio Dávila.

BERLIM (2006) | 208 páginas

Joseph Roth

berlim - jornalismo literário

Joseph Roth, um dos maiores jornalistas alemães do século XX, traça uma imagem vibrante da Berlim dos anos 20, que dedica o mesmo olhar curioso a grandes políticos e pequenos patifes, escritores e prostitutas, refugiados e boêmios. Posfácio de Alberto Dines.

FILME – Um retrato de Hollywood (2005) | 312 páginas

Lillian Ross

filme lilian ross - jornalismo literário
Ao acompanhar a realização de um filme de John Huston, a jornalista Lillian Ross compõe um quadro que revela os meandros da indústria cinematográfica americana e o ambiente controvertido de Hollywood. Com apresentação de Matinas Suzuki Jr. e posfácio de Davi Arrigucci Jr.

O IMPERADOR – A queda de um autocrata (2005) | 200 páginas

Ryszard Kapuscinski

o imperador - jornalismo literario

O renomado correspondente Ryszard Kapuscinski traça um retrato da extravagância e da corrupção de que a corte do imperador Hailé Selassié I desfrutava enquanto a Etiópia se tornava um dos países mais miseráveis do mundo. Com posfácio de Mario Sergio Conti.

RADICAL CHIQUE E O NOVO JORNALISMO (2005) | 248 páginas

Tom Wolfe

radical chique e o novo jornalismo - jornalismo literario

No sétimo lançamento da coleção Jornalismo Literário, que reúne clássicos da reportagem do século XX, uma história do gênero que Tom Wolfe ajudou a criar e algumas de suas melhores matérias, selecionadas por Matinas Suzuki Jr.

A VIDA COMO PERFORMANCE – Perfis (2004) | 368 páginas

Kenneth Tynan

a vida como performance - jornalismo literario

Nesta coletânea de textos de um dos críticos mais importantes de língua inglesa do século XX, personalidades do mundo das artes e do entretenimento – como Orson Welles, Marlene Dietrich, Humphrey Bogart, Miles Davis e outros – são retratadas com graça, precisão e maestria.

A FEIJOADA QUE DERRUBOU O GOVERNO – A política brasileira observada com o estilo e a ironia de uma víbora da reportagem (2004) | 216 páginas

Joel Silveira

joel silveira - a feijoada que derrubou o governo - jornalismo literario

Joel Silveira foi um dos pioneiros do jornalismo literário no Brasil. A feijoada que derrubou o governo reúne artigos, reportagens e crônicas sobre a política brasileira e internacional, contadas por esta verdadeira fera do texto jornalístico. Posfácio de Leão Serva.

FAMA E ANONIMATO (2004) | 536 páginas

Gay Talese

gay talese fama e anonimato - jornalismo literario

Textos que imprimem um retrato agudo do universo urbano de Nova York. Nas reportagens reunidas nesta antologia, o consagrado repórter americano ajudou a criar o “novo jornalismo”. Publicado no Brasil em 1973 com o título de Aos olhos da multidão, o livro se tornou referência entre jornalistas e escritores. A edição inclui duas reportagens inéditas.

CHICO MENDES – CRIME E CASTIGO (2003) | 248 páginas

Zuenir Ventura

chico mendes - crime e castigo - jornalismo literario

No começo de 1989, Zuenir Ventura foi enviado ao Acre para uma série de reportagens sobre o assassinato do seringueiro Chico Mendes, ocorrido em dezembro de 1988. Os textos deram ao repórter o prêmio Esso de Jornalismo. Quinze anos depois, em 2003, Zuenir retornou à região para concluir a grande reportagem sobre o herói dos Povos da Floresta.

A SANGUE FRIO – Relato verdadeiro de um homicídio múltiplo e suas conseqüências (2003) | 440 páginas

Truman Capote

sangue frio - truman capote

Fruto de uma intensa investigação, feita ao longo de meses, A sangue frio é um dos livros que fundaram o jornalismo literário, gênero que combina a objetividade factual e os recursos da narrativa de ficção. O clássico de Truman Capote conta a história da brutal chacina da família Clutter e dos autores do crime, executados em 1965.
A MILÉSIMA SEGUNDA NOITE DA AVENIDA PAULISTA – E outras reportagens (2003) | 216 páginas

Joel Silveira

a milesima segunda noite na avenida paulista - joel silveira -  florianopolis

Primeiro título brasileiro da coleção Jornalismo Literário, reúne textos do repórter que cobriu a Segunda Guerra a serviço de Assis Chateaubriand, o Chatô, que o considerava “uma víbora”. Com reportagens, crônicas e entrevistas, o livro traça um panorama do país na década de 40, com a marca do bom humor e da ironia de Joel Silveira.

O SEGREDO DE JOE GOULD (2003) | 160 páginas

Joseph Mitchell

o segredo de joe gould - joseph mitchell

Colaborador da revista The New Yorker, Mitchell foi um dos maiores jornalistas americanos do século XX. A reportagem “O segredo de Joe Gould” (1964) conta a história de um homem que vivia como um mendigo – perambulando pelo Greenwich Village, bairro boêmio de Nova York – e planejava publicar um livro monumental: História oral do nosso tempo.

HIROSHIMA (2002) | 176 páginas

John Hersey

hiroshima - john hersey - jornalismo literario

Um ano depois que os EUA lançaram a bomba atômica em Hiroshima, John Hersey reconstituiu o dia da explosão, a partir de depoimentos de seis sobreviventes. Quarenta anos mais tarde, o jornalista voltou a Hiroshima e escreveu o último capítulo da história dos hibakushas: as pessoas atingidas pelo efeito da bomba.

O REINO E O PODER – Uma história do “New York Times” (2000) | 560 páginas

Gay Talese

o reino e o poder - gay talese - jornalosmo literario

Durante boa parte do século XX, The New York Times exerceu “o quarto poder” nos Estados Unidos. A história do jornal mais influente do mundo é apresentada aqui pelo editor Gay Talese, num clássico da história do jornalismo que ergue diante de nós o reino da imprensa, com suas lutas, conflitos e manipulações.

O LIVRO DOS INSULTOS (1988) | 264 páginas

H. L. Mencken

o livro dos insultos - mencken

Reedição dos polêmicos artigos do mais famoso jornalista americano das décadas de 1920 e 1930, agora na coleção Jornalismo Literário.

Anúncios

6 pensamentos sobre “32 livros essenciais sobre Jornalismo Literário

  1. Pingback: Retrospectiva JL: os 5 posts mais lidos de 2014 | Jornalismo Literário

  2. Pingback: 32 livros essenciais sobre Jornalismo Literário | Celso Vicenzi

  3. Pingback: 10 livros que todo jornalista deve ler – por Eliane Brum | Jornalismo Literário

  4. Pingback: Jornalismo Literário, o que é e quando nasceu? – UnigraNews

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s